O cheiro está em tudo que nos cerca: no amor, no apetite, nas melhores lembranças.

Um dos sentidos mais primitivos do ser humano pode proporcionar várias sensações diferentes, tais como a fome, o relaxamento e a repulsa. Como uma sutil máquina do tempo, o poder da memória olfativa pode também despertar lembranças e sentimentos guardados em nosso cérebro de maneira atemporal.

Se pararmos para refletir, desde que o mundo existe o olfato é o sentido que decifra as mensagens químicas de sobrevivência, seja para a alimentação ou na iminência de risco de seu predador se aproximando. Podemos dizer que não é a toa que a maioria das espécies animais possui o olfato como a característica melhor desenvolvida.

O poder da memória olfativa pode ser potencializado considerando que desde que se nasce o olfato já vai se desenvolvendo, diferente dos demais sentidos que só irão funcionar após um tempo de vida. Nossa memória olfativa enriquece a cada milésimo de segundo quando passamos a sentir as moléculas gasosas voláteis, responsáveis pela percepção de odores pelo nariz humano. Tamanha rapidez pode ser constatada quando cientificamente o bebê sente o cheiro da mãe em poucos momentos após o seu nascimento.

Um adulto de meia idade possui uma máquina do tempo de sensações e sentimentos. Milhões de células ativas resgatam experiências a todo o momento e quando sentimos um cheiro já conhecido, instantaneamente nossa memória olfativa é ativada. Como um movimento mecânico, identificamos o cheiro de determinada comida, de limpeza, natureza, o cheiro ruim e tantos outros. Mas a especialidade humana é associar os aromas a momentos e sentimentos: aquele cheirinho de bolo que resgata a infância, o aroma de terra molhada que te leva a aquele lugar inesquecível, o cheiro do carro novo conquistado ou até mesmo a fragrância desagradável de remédio ou de hospital em um momento de cuidados com a saúde.

Por uma questão física, o bulbo olfativo – responsável por processar o odor – está localizado próximo à parte do cérebro que identifica as memórias e sentimentos e por isto os cheiros são estímulos para esta associação.

Cercada de tamanha autoridade, o olfato passou a ser utilizado como uma ferramenta de marketing para conectar os meios de consumo através do poder da memória olfativa. Não é a toa que as grandes redes de cinema apostam no cheirinho irresistível de pipoca ou a loja de cama, mesa e banho investe na capacidade de percepção de sua identidade olfativa com os clientes. Escolas, consultórios, academias, restaurantes e tantos outros segmentos notaram que manter ambientes com aromas agradáveis podem fazer que com que o cliente permaneça mais tempo no local, se acalme ou se mantenha ativo e tudo isto de maneira invisível aos nossos sentidos, exceto aquele que nada passa: o fabuloso olfato!

Por isto, não deixe de utilizar esta ferramenta com sabedoria para a sua empresa! O retorno é comprovadamente um sucesso se aplicado da maneira correta. Profissionais do ramo precisam realizar criteriosas análises para que o seu objetivo seja atingido.

Caro leitor se assim como eu você também esta interessado na área de marketing olfativo e gostou deste conteúdo, não deixe de curtir, comentar e compartilhar em suas redes sociais afinal de contas a sua opinião é muito importante para nós.