Na verdade, a ciência do marketing, Segundo o professor Artur Reis, economista e CEO da Ar Consultoria, faz uso da combinação dos cinco sentidos humanos para gerar melhores resultados no processo de compra dos consumidores. Outro conceito denominado Marketing Sensorial ou Mídia Sensorial, refere-se ao uso dos sentidos básicos como veículo de comunicação de mensagens, segundo o professor.

Os sentidos básicos do ser humano são: paladar, olfato, tato, audição e visão.

Pesquisas realizadas mostram que 83% das percepções dos consumidores em relação aos produtos vem da visão e 11% pela audição. A degustação que utiliza o paladar como elemento apelativo para a compra de produtos, possui um índice de lembrança de 49% dos consumidores. Um dado curioso revela que 83% dos consumidores comprariam o produto independente do seu preço se aprovassem a cortesia. O olfato por sua vez é o sentido mais subliminar e primitivo do homem. O senso de olfato (cheiro) é o único comparado aos demais sentidos e tem uma conexão direta com a nossa memória e o centro emocional do cérebro, diz Artur.

Alguns aromas específicos remetem à sensação de fome e geram desejo de consumo. O olfato como sentido afeta diretamente o paladar. Testes sensoriais realizados pelas empresas fornecedoras de fragrâncias e sabores mostram que sem o uso o olfato, a percepção do paladar em relação a um determinado alimento muda radicalmente. Muitas vezes, fica difícil perceber, por exemplo, se um suco é de graviola ou de maracujá, apenas com a degustação.

Aí você ficou sabendo um pouco sobre Marketing Olfativo. Você arriscaria utilizar essa  técnica em seu negócio?